• RUA GENERAL JUSTINIANO PADREL, 25, 1170-152 LISBOA (LISBOA, Portugal)
    T: 215 944 492

  • RUA GENERAL JUSTINIANO PADREL, 25, 1170-152 LISBOA (LISBOA)
    T: 215 944 492

CONSELHOS

PNEUS
  • Qual é a profundidade mínima legal para o sulco do pneu?

    A profundidade mínima para o sulco do pneu é de 1,6 mm mas, nessa situação, o desempenho do pneu já perdeu 90 % de eficácia em termos de capacidade de aderência à estrada.

  • É aconselhável trocar regularmente os pneus?

    Sim, pelo menos uma vez a cada 10 000 Km, porque, assim, consegue-se uma distribuição mais proporcional do desgaste e uma maior duração dos mesmos.

    Para tal, a primeira coisa a ter em conta é que os pneus do mesmo eixo devem ser iguais e a diferença entre a profundidade do desgaste dos mesmos não...


SUSPENSÃO E AMORTECEDORES
  • O que acontece se conduzir com amortecedores em mau estado?

    Os amortecedores têm o importante papel, entre outros, de manter os pneus em contacto constante com o asfalto. Um amortecedor em mau estado pressupõe menor aderência à estrada, falta de estabilidade e de controlo do veículo, aumento na distância de travagem.

  • Qual é o intervalo de substituição dos amortecedores?

    A degradação dos amortecedores baseia-se, especialmente, na fadiga à qual os mesmos sejam submetidos (tipo de condução, tipo de superfície em que circula, etc), pelo que os intervalos de substituição dos...


SISTEMA DE ESCAPE
  • Quantas vezes é aconselhável verificar as saídas de escape?

    É aconselhável verificar os tubos de escape, aproximadamente, a cada 20 000 km. É uma operação rápida através da qual podemos detectar avarias iminentes e, assim, evitar danos maiores e mais caros.

    Devem ser substituídos os componentes que apresentem gretas, orifícios ou sintomas de corrosão.

  • Quando deve ser substituído o catalisador?

    Em condições normais, os catalisadores costumam ser substituídos a cada 80 000 km a 100 000 km mas, em caso de impacto sobre o corpo dos mesmos, pode ocorrer uma destruição...


MANUTENÇÃO DO SEU VEÍCULO DURANTE O INVERNO
  • Pneus

    No Inverno aumenta, consideravelmente, o risco de acidente provocado pelas condições meteorológicas; para o evitar é essencial que se verifique a profundidade do desenho do piso do pneu que não deve ser inferior a 1,6 mm. A superfície do pneu não deve apresentar bolhas, desgaste anormal, cortes, etc.

    A pressão dos pneus também influencia a segurança na condução. Certifique-se de que a pressão é a correcta. Uma pressão inferior à normal fecha os sulcos do desenho do pneu, reduz a drenagem da água e aumenta a possibilidade de aquaplaning, além de o degradar...


TRAVÕES
  • As pastilhas de travão das rodas dianteiras desgastam-se da mesma forma que as das rodas traseiras?

    Não. Ao travar, a maior parte do peso do veículo recai sobre as rodas do eixo dianteiro (o eixo traseiro tende a elevar-se). Consequentemente, a maior acção de travagem recai sobre as rodas do eixo dianteiro e, consequentemente, o seu desgaste é maior e mais prematuro.

  • De quantos em quantos quilómetros devem ser substituídas as pastilhas de travão?

    A duração das pastilhas de travão depende de factores tais como a dureza do material da pastilha, a utilização do sistema de travagem,...


LUBRIFICANTE MOTOR
  • Podem misturar-se óleos diferentes?

    Todos os óleos são miscíveis entre si, quer sejam para gasolina ou para diesel, quer sejam minerais ou sintéticos, mas, desta forma, a qualidade do óleo superior e o produto final não costumam ter a soma das características de ambos; portanto, é desaconselhável misturá-los, a menos que sejam muito semelhantes.

  • Qual é a diferença entre um óleo mineral e um sintético?

    Um óleo mineral é formado, directamente, a partir da destilação do petróleo aditivando-o para que as suas prestações sejam melhoradas.

    Num óleo sintético, as bases são...


FILTROS
  • Tenho de mudar o filtro de óleo quando mudar o óleo?

    O filtro deve ser sempre mudado com a periodicidade que o fabricante indicar.

    Em geral, se os intervalos de mudança de óleo forem longos ou o motor tiver trabalhado em condições de uso severas, o filtro deve ser substituído com cada mudança de óleo; caso contrário, pode ser substituído a cada duas mudanças de óleo.

  • Qual é o intervalo de substituição do filtro do ar?

    É aconselhável substituir o filtro uma vez por ano ou a cada 20 000 km. (salvo especificação em contrário do fabricante).

    Em condições de condução por...


MORADA
  • Quais os sintomas de um alinhamento de direcção incorrecto?

    O veículo desvia-se para um lado ao circular em linha recta.

    Dureza anormal da direcção.

    Os pneus desgastam-se de forma irregular tanto pelos seus rebordos interiores como pelos exteriores.


CORREIA DA DISTRIBUIÇÃO
  • Quando se deve mudar a correia da distribuição?

    Os intervalos da substituição da correia da distribuição dependem de cada veículo e podem oscilar entre os 40 000 km e os 120 000 km.

    Em qualquer caso, é muito importante respeitar os intervalos definidos pelo fabricante para evitar graves danos no motor.


VELAS
  • O que é o grau térmico de uma vela?

    O grau térmico da vela indica a capacidade que esta tem para libertar o calor que se acumula nela durante o funcionamento do motor. Uma vela será “fria” se for capaz de libertar grande quantidade de calor; pelo contrário, será quente se a sua capacidade de libertação for pequena. O motor que gera elevadas temperaturas na sua câmara de combustão exigirá uma vela fria e vice-versa.

  • Por que é importante o grau térmico da vela?

    Uma vela deve trabalhar entre dois intervalos de temperatura. Se a sua temperatura de funcionamento for inferior aos...


BATERIA
  • O que é uma bateria sem manutenção?

    Os acumuladores das baterias são fabricados à base de chumbo com a adição de pequenas quantidades de outros materiais. A diferença entre as baterias sem manutenção, as de baixa manutenção e as de tipo convencional é o material com que o chumbo é combinado. Às de tipo convencional junta-se ao chumbo entre 5 % e 6 % de antimónio, às de baixa manutenção entre 2 % e 3,5 % e nas sem manutenção substituiu-se o antimónio por cálcio e chumbo ou cálcio e selénio.

    As baterias com antimónio aceitam corrente após atingirem a carga...


ANTI-CONGELANTE
  • Em que consiste o líquido de arrefecimento?

    O líquido de arrefecimento é, basicamente, composto por água e etilenoglicol (álcool que reduz o ponto de congelamento do líquido) além de outros aditivos específicos.

  • Qual o papel do líquido de arrefecimento?

    Além de libertar o calor gerado no motor, o líquido de arrefecimento aumenta o ponto de ebulição da água ao ser incorporado o anticongelante, diminui o ponto de congelamento e protege o motor contra a corrosão do alumínio, bronze, cobre, solda, aço e ferro fundido, evitando a formação de depósitos e de lamas.

  • O que ocorre se...